DE MARÍLIA À MONTEVIDÉU – Parte 02

Casapueblo – Maldonado, Punta Ballena – Uruguai

Olá pessoal, semana passada comecei a contar como foi a nossa viagem de carro que começou em nossa querida cidade de Marília e chegamos em Montevidéu, capital do Uruguai, percorrendo quase 5000 quilômetros no trajeto todo! Perdeu a primeira parte dessa viagem? Entre aqui!

Mano de Punta del Este

E dando prosseguimento à viagem, chegamos ao extremo sul do país, a cidade de Chuí. É uma cidade que mescla bem as culturas brasileira e uruguaia. Por lá, você vê rostos brasileiros falando espanhol e vice-versa. Uma loucura. Uma dica para quem for atravessar a fronteira de carro é a carta verde, um seguro que tem que ser feito para o carro transitar entre os países do Mercosul, fica por volta de 120 reais e você encontra vários lugares que fazem isso, no nosso caso, encontramos uma costureira que também fazia a carta verde, bem rápido e fácil. Outra dica é trocar o dinheiro no Chuí, encontramos valores melhores de câmbio do que no Uruguai. Vocês podem trocar por pesos ou dólares, as duas moedas são bem aceitas no país vizinho, e o dólar tem um valor mais constante nas casas de câmbio uruguaias.

Seguimos viagem e cruzamos a Route 9 uruguaia quase toda. A paisagem é essencialmente a mesma do interior do Rio Grande do Sul, com planícies bem extensas, com criação de gado quase que por todo o percurso.

A próxima parada foi um Punta Del Este, uma cidade encantadora e bem moderna, isso contrastou bem com o resto do Uruguai que conhecemos, nem mesmo a capital do país é tão moderna quanto Punta. Fomos direto à escultura mais famosa do Uruguai, La Mano, para quem não conhece são dedos que saem da areia, é incrível de se ver com o mar e o céu de fundo. E para os mais místicos por aqui, dizem que junto com as cabeças da ilha de Páscoa, formam um corpo no interior da Terra.

Prosseguimos para a capital do país, Montevidéu. A cidade chama atenção pela arquitetura clássica das praças, monumentos, igreja e prédios. Ficamos em um hotel na Ciudad Vieja, que é o “centro velho” da cidade e exploramos bem área ao redor, chegando até a área do porto.

Na primeira noite, como bons marilienses que somos, procuramos por uma boa pizza por lá, paramos então na Pizzeria La Pasiva, o grupo La Pasiva tem vários empreendimentos por toda a Ciudad Vieja, são pizzarias, hamburguerias, pequenos cafés, é bem bacana conhecer. Percebemos logo de cara que a maioria das pizzas vem com morrónes, ou pimentões para nós. Pedimos uma pizza e experimentamos as cervejas mais comuns da cidade, a Pilsen e a Zillertal, a primeira tem um gosto quase que adocicado, como uma menta no final, já a segunda lembra a Heineken por aqui, até na garrafa que é verde. Ainda tivemos a oportunidade de experimentar uma cerveja artesanal da cidade, a Volcanica, uma IPA clássica que o rótulo foi inspirado no álbum Americana, do The Offspring, sensacional. Para finalizar a noite, experimentamos um choripan, sanduiche super tradicional na região, com chorizo e chimichurri, vale a pena experimentar essa iguaria do país e é muito fácil encontrar, existem inúmeros carrinhos na rua, como os nossos trailers de hot dogs.

No dia seguinte, andamos por uma boa parte do centro de Montevidéu. Pela manhã, fomos até a região do porto e conhecemos o Mercado Del Puerto, um mercado bem diferente, pois lá dentro existem só restaurantes especializados em parrilla, em volta do mercado, você encontra muitas lojas de souvenirs para os turistas.

E se você está pensando em atravessar de barco para Buenos Aires, prepare o bolso, fomos até o terminal da Buquebus, e uma passagem ida/volta ficava 220 dólares, por volta de 800 reais por pessoa. Desistimos dessa ideia, não cabia no orçamento atual, lembrem-se que já estávamos viajando à uns 7 dias.

Voltamos para a região do hotel, e almoçamos no Restaurante El Fógon, pedimos uma Parrilla 5 carnes, não pedimos a tradicional por que vinham uma grande quantidade de miúdos, e como estávamos em mais pessoas, nem todas comiam esse tipo de carne. A parrilla foi sensacional, as carnes extremamente tenras, e suculentas, acompanhamos com uma salada simples, alface, tomate e cebola.

A tarde partimos para o café La Sin Rival, experimentamos cappuccino, café, alfajores e empanadas. Uma curiosidade sobre o Uruguai, o café por lá é muito caro, e os alfajores e empanadas muito baratos, pra vocês terem noção o expresso por lá é uns 10 reais convertidos.

Passamos por um pub irlandês, o The Shannon Irish Pub, com mais de 20 cervejas artesanais uruguaias, a casa tem essa pegada irlandesa/inglesa. O mais engraçado é que conversamos em inglês, espanhol e português por lá.

Mas o grande destaque de Montevidéu ficou para o Baar Fun Fun. Uma pequena casa de shows, com temática de futebol, com muitas camisas de times brasileiros nas paredes. A noite foi especial, com um show de tango maravilhoso, com música e dança. Acompanhando tudo isso, um belo vinho Pisano, tannat uruguaio. Foram 2 horas e meia de show. Incrivel! A plateia quase em sua maioria era composta por brasileiros, salvo uma família francesa na mesa a nossa frente.

No outro dia, retornamos ao Brasil, paramos uma noite em Pelotas. Se quiser dicas sobre a cidade, estão no primeiro artigo que escrevemos sobre a viagem aqui.

Seguindo viagem, chegamos em Florianópolis, e aproveitamos para encontrar amigos da nossa família que estavam por lá, também de férias. À noite, fomos ao Moochacho, um restaurante com pegada mexicana que serve uns burritos muito gostosos, e os molhos que acompanham, nem se fala, um mais gostoso que o outro. Para acompanhar os burritos que pegamos, um veggie e um tradicional, pedimos uma cerveja APA artesanal de Floripa.

O outro dia foi a final da copa do mundo, estávamos trocendo para a Croácia é verdade, mas valeu o show, e parabéns França pelo título mundial. Resolvemos assistir ao jogo no restaurante Boka”s, que fica na Lagoa da Conceição, com uma vista linda e um cardápio especializado em frutos do mar, o restaurante já é um convite à um deleite de almoço. Em homenagem ao time francês, escolhemos um vinho Chadonnay para acompanhar o prato

que escolhemos, um Congrio à Belle Meuniere e camarões. Fantástico.

Com isso, chega ao fim a nossa viagem para o Sul do País e Uruguai, querem mais informações? Nos pergunte nas redes sociais.

Leave your reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.